Arquivo da tag: Flua com a vida

Porque os relacionamentos não são duradouros

Para um relacionamento ser eterno depende de você,
Se você ama de verdade, saiba as razões que atrapalham sua relação amorosa.
Em regra geral: amar é um exercício que exige esforço para conseguirmos amar sempre mais.

Acredite sempre no amor!
Nas palavras de Mario Quintana: “Covarde não é aquele que chora por amor, e sim aquele que não ama por medo de chorar.”

1. Amor incondicional x Condições pra amar
A própria composição da palavra já diz o que significa, mas parce que as pessoas não falam português.
Amor IN – CONDICIONAL = SEM CONDIÇÃO para amar.
Aceitar o outro sem impor qualquer condição para amar.
Então questões como:
“Ele(a) não me ama como eu gostaria”
“Ele(a) não faz as coisas que eu gosto”
“É grudado(a) nos amigos”
“É assim ou assado”

Essas imposições para amar não podem existir quando dizemos que amamos uma pessoa.
Mas você pode, sim, dizer como se sente quando ele(a) faz coisas que não te agradam. Sempre como uma colocação ou negociação, bem diferente de uma imposição.

2. O que nos atraiu, agora nos deixa inseguro
Pode apostar, aquilo que admiramos e nos atraiu à pessoa amada no primeiro momento, certamente será fonte de insegurança quando o relacionamento estiver estabelecido.
Eu, por exemplo, a primeira coisa que admirei no meu marido foi sua simpatia, espontaneidade  e liberdade de expressão. Logo depois, quando estávamos namorando, odiava seu jeito “aparecido” e expansivo demais.

O fato de atrair outros olhares é ameaçador.

Incrível como o mesmo jeito de ser era positivo e atraente quando estamos sem a posse, passou a ser uma característica negativa depois que “possuímos” a pessoa.

Portanto, devemos dar liberdade  para o outro ser como quiser e estar onde quiser! Castrar seu amado certamente ou vai matá-lo e você deixará de admirá-lo, e/ou matará seu relacionamento.

Aquele clichê do amor deve ser como uma mão segurando uma porção de areia ao vento: bem muito firme para não escorrer por seu dedos, nem muito aberta para o vento não levar embora.

3. Desconhecimento da relação de longo prazo
A falsa idéia transmitida pela mídia cria uma expectativa irreal do que é o dia-a-dia de os altos e baixos que existem numa relação amorosa. As pessoas acham que sempre é tudo mil flores e se surpreendem quando surge uma fase mais fria, distante ou até mesmo dúvidas e desapontamentos. E, concluem que o relacionamento está em crise ou que acabou.

Entenda a sabedoria da natureza: as flores estão exuberantes e irradiantes 3 a 4 meses do ano, no máximo 2 fases do ano. Assim é o relacionamento amoroso! Não espere ser sobrenatural! Mil maravilhavas não existe.

4. Saber enfrentar crises – Sempre existe amor pra recomeçar

As pessoas devem ter consciência do seu compromisso com o sucesso do relacionamento. Saber enfrentar crises é primordial para um relacionamento duradouro.

Sim, existirão vários momentos que você colocará tudo em questão. Acreditará que não existe mais amor, e que está tudo acabado. Mas saiba que depois da tempestade vem a abonança. Sempre existe amor para recomeçar! E você voltará a amar ainda mais profundamente.

Bert Hellinger, criador da Constelação familiar, diz que devemos saber que vamos errar 10 vezes feio com o outro. E o mesmo vale para ele(a). Eles também vão errar conosco 10 vezes!

Para a relação durar, é preciso dar 10 créditos de confiança. CON – FIANÇA.

Tenha paciência, é apenas uma fase do amor. A primavera sempre chega!

5. Exercitar o perdão honestamente

As pessoas não são perfeitas, a começar por você!
Se você decidiu estar junto é porque aceita o outro com seus erros e falhas, inclusive. (Lembra do item 1 – Amor incondicional?)
Portanto, o perdão seria uma conseqüência natural, mas não é tão fácil assim. Estou dizendo que todo mundo merece uma segunda chance, pelo menos. ( Ou 10 créditos – item 4)

Se não conseguir perdoar, é um direito seu, mas então seja claro(a) com a pessoa e decidam como viverão a partir daí.
Se ficarem juntos sem perdão verdadeiro, a relação está fadada ao fracasso, certamente!
Se decidir perdoar, significa matar e encerrar o assunto e qualquer revolta, sentimento ou emoção que vier a sentir. Se “elas vierem”, diga: “eu sei, reconheço vocês, mas optei por perdoar. Decide escolher coisas maiores que isso.  Te reconheço, mas não tem espaço pra isso. Meu amor é maior que isso.”

Muitas amigas me perguntam se eu perdoaria isso ou aquilo de meu marido.
Eu sempre respondo que antes de tudo devo ser honesta e leal a mim.

Sou muito profunda, mas no amor sou muito prática e objetiva. Se amo a pessoa e vou sofrer muito mais longe dela, porque vou me punir e sacrificar? Vou, sim, buscar o entendimento, mostrar como me machuca e machucou, porque não recebo como uma demonstração de amor, e como não é constritivo.

Já minha irmã me chamaria de mulherzinha submissa. Mas respondendo quem pensa como minha irmã…
Acredito que o significado dos conceitos cristãos, judaicos impregnados e abominado pelas feministas: “a mulher ser submissa a seu homem”, é, na verdade, o conhecimento feminino antigo de que são as mulher, com mais consciência, que tem a grandeza para ceder e perdoar.

6. O equilíbrio está no desequilíbrio
A terapia de Bert Hellinger, a Constelação familiar tem como base de trabalho “as ordens do amor”. Prega que algo muito oriental e sábio para as relações a dois: quando um dos parceiros fizer uma coisa ruim, o outro deve fazer outra “um pouco menos pior”. E, quando fizer uma coisa positiva e amorosa, o outro deve retribuir com algo “um pouco melhor”.

Não queira ser perfeita, mas não engula desaforo! Pois eles crescem como mofo! A acabam abafando seu amor.

Mas o melhor é usar a técnica de Afirmação Positiva, que também funciona com seres humanos, afinal somos todos animais.

Então, em vez de brigar pelas coisas que “não gosta e não aprova” no seu amado, demonstre sua satisfação  e recompense-o nos momentos que ele for ou fizer as coisas que te deixam feliz!

A relação fica equilibrada e também coincide com a teoria do Cesar Millan, o encantador de cães. Sabedoria animal! (afinal homens são todos cachorros, hehe)
Vou explicar…
Um dia o veterinário das minhas cachorras já de longa data, falou para mim: “Se você não consegue controlar suas cachorras, não deve ter liderança com seu marido, sogra, empregados,….Você deve ler os livros do Cesar para liderar com seu bando.”

Incrível como nosso estado de espírito define toda nossa comunicação com o mundo e, assim, com ele reage a nós.

Depois de ler e ver os programas do encantador, passei a “dominar” melhor meu bando. Ele ensina que devemos nos posicionar, ter auto confiança, clareza na comunicação e energia positiva. Esses fatores transformam seu comando!

7. Reconheça quais são as dificuldades do relacionamento, e ame-as de coração

Isso mesmo, você deve chegar a um ponto que já sabe quais os pontos de conflito e dificuldades do seu parceiro e da relação, e ter compaixão. Tenha amor suficiente para amá-lo(a) mesmo na fraqueza. “Na saúde e na doença.”
Quando a pessoa estiver em dificuldade, ajude-a com amor, e por amor, por você e pela sua relação. Muitas vezes isso significa perder uma discussão ou uma situação para ganhar na relação. Depois com calma, exponha seus sentimentos, sempre do seu ponto de vista, sem acusar, para vocês crescerem.

Descubra que você pode ter responsabilidade e pergunte o que você faz que ativa esse comportamento ou situação desagradável.

Auto controle por amor
Eu e meu marido combinamos códigos em palavras e apertos de mão para sinalizar que estamos entrando em terreno perigoso. Com isso, controlamos o furacão momentâneo e discutimos a relação com mais calma, quando os ânimos estão calmos. Sempre chegamos a meia culpa e lições aprendidas e pontos internos a melhorar.

Não adianta, quando a cabeça está quente, é porque todo o sangue foi pra lá, e deixou o coração vazio.

Quando as pessoas pessoas gritam uma com as outras, é por que seus corações já conseguem ouvir.

Então, distancie e espere seu coração se preencher de amor novamente. Os amados encontrarão o que fizeram de errado e pedirão perdão.

8. A cobrança de sucesso cria ansiedade
 A ansiedade na busca de uma relação estável e romântica faz a gente antecipar etapas e tendemos a forçar sentimentos sem raízes ou fundamento.

O pior é transformar o outro em marionete das nossas fantasias. Isso explica os casamentos a jato e de fachada.

Devemos dar tempo ao tempo, e lembrar que, assim como na natureza, nas relações, as coisas crescem no seu tempo, aos poucos. No começo ou no meio desse processo podem existir situações e momentos difíceis, mas depois, a recompensa de toda dedicação e devoção valerão a pena.

Amar é compreender o outro e penetrar na sua alma a cada dia.

Vá com calma, porque os mistérios da alma são intermináveis.

9. Talvez ele(a) te ame com todo o amor que tem
Sim, é a dura verdade que aqueles que querem amar e se relacionar devem enfrentar. Muitas vezes todo o amor que ele(a) tem não é suficiente para você. Aí, você pensa que não vale a pena, que ele(a) não te ama o suficiente. Mas ele tem só esse amor pra dar! E, porquê você não aceita só “isso”, vai abandonar o amor?
Minha psicóloga, Noely da PUC, diz que o melhor do amor é amar e não ser amado. É inacreditável que as pessoas queiram que o outro as ame mais. Isso explica tanta gente casada com quem não ama!

Novamente a insegurança como aquele do item 2. O que nos atraiu, agora nos deixa inseguro as pessoas simplesmente deixam de amar!!!

10. Carência
Um dos maiores perigos da relação, se não o maior, é a carência não só sentimental, mas a falta de interesses e objetivos de vida. Muitas pessoas depositam todas as expectativas de uma vez só vez, numa só pessoa, porque são insuficientes para si mesmos!
Temos que nos admirar antes de tudo. Convenhamos, se nem você se agüenta, se basta, ou faz da sua vida interessante, quem irá se interessar, te admirar e amar??
A solidão deixa as pessoas obsessivas, “grudentas”, inseguras e desesperadas. Cuidado para não cair na carência e destruir seu amor. Antes de tudo, você deve resolver suas carências afetivas e mundanas por conta própria. Sempre admiramos aqueles que se bastam, tem interesses próprios, tem felicidade própria. E por incrível que pareça, transformar suas recaídas em personas humoradas é um ótimo remédio. Eu já dei até nome para elas. “II agora tive um momento Dona Cleide ou Você está Sr. Tarefinhas”. E rimos juntos das nossas “loucuras” e inseguranças.

Num momento de maior crise e desencantamento, interesse-se por outra coisa verdadeiramente, e verá que despertará a curiosidade do seu parceiro, e dependendo “de como levar”, transformará em admiração e desejo. Por isso, um Ex bem resolvido sempre chama atenção, não espere terminar para usar seus truques!

E acredite, 90% dos problemas que você enfrenta numa relação são transportados para o próximo relacionamento. Leia o post sobre o remédio dos relacionamentos 

A nossa morada deve ser a gente mesmo! Fé em D-EU-S!

11. Acúmulo de fracassos do passado
As frustrações do passado contaminam a relação de forma tão avassaladora como inconsciente.
A cada situação ou reação parecida com outra fracassada do passado, cria um alerta de pânico. Curiosa a falta de criatividade do ser humano; supondo que esteja se repetindo a mesma experiência, as pessoas reagem da mesma maneira esperando resultados diferentes!
Então, devemos estar atentos para não trazer experiências e conclusões do passado para o momento presente. As coisas devem estar sempre zeradas! Use a criatividade a cada nova situação repetida! Tente diferente. É divertido! Funciona pra tudo na vida!

Concluindo, o Amor é eterno e verdadeiro quando nunca acaba.

Lembre-se: precisamos amar pra viver!

Os inimigos invisíveis

Eles exercem uma força contrária a nossa realização, conscientes e muitas vezes inconsciente, como nós bem sabemos pela nossa própria experiência. Quem nunca invejou um amigo, irmão, amado ou colega? Quem não tem amigos que torcem contra, pelas nossas costas?

Só muita percepção e leitura corporal para identificar as mensagens sutis que os inimigos invisíveis que nos rodeiam deixam transparecer. E mais percepção é necessária para tomar consciência de nossas recaídas. Todos nós ainda fazemos isso, seja por medo de perder o poder sobre a pessoa, ou por ter medo de não possuir o mesmo poder. Não podemos dizer que seria para não perder o amor da pessoa, pois amor NÃO PRENDE, e sim dá as condições necessárias para o outro ser o melhor dele que puder.

Então, como evitar a negatividade que atravanca nossas vidas? Esconder nossa vida daqueles de nossa confiança para nos proteger da negatividade alheia certamente não é uma saída saudável, pois a solidão e fardo da vida acabam recaindo sobre você.

Os caminhos sempre partem de você…

1. A busca pela aprovação

A opinião contrária ou bom pouco motivacional de alguém que admiras, abalada tuas certezas, e assim, é tu quem crias a dúvida, boicotando a si mesmo para não perder o “amor” (aprovação) da pessoa admirada.

Muitas vezes temos um pensamento, idéia ou desejo, e compartilhamos com alguém que admiramos e/ou amamos, na busca de sua afirmação para confirmar o que sentimos internamente, e assim, nos motivar para tomada de uma ação concreta na vida. Exemplos: mudar de emprego ou criar um novo negócio, aprovação do novo namorado(a). E aí, basta a pessoa não reagir como esperamos, (90% das vezes não reagem) ficamos com a confiança abalada! Criamos incerteza, duvidamos das possibilidades e nos boicotamos.
Aí, como estamos viciados em encontrar culpados para  nossos fracassos, creditamos nosso insucesso ao amigo.
Existe sempre a possibilidade de que “não era pra ser”. Mas acredito que se “não era pra ser” é porque não estava prontos, mas a onda veio, e você perdeu. E se não estamos prontos, a responsabilidade volta pra gente novamente.

2. O medo da inveja

O teu sentimento de falta cria a falta. Daí deriva a força da inveja.

Assim como seus amigos-inimigos secretos recebem seu sucesso como uma falta de sucesso nas suas próprias vidas, e duvidam de si e da própria capacidade, é inegável que também temos esse sentimento de vazio algumas vezes. Quando sentimos essa falta, projetamos em nossa mente a miséria. E, é nesse momento, que abrimos espaço para a “inveja” alheia penetrar em nossas vidas.

Este é um pensamento meio complexo, mas no momento que vivemos nosso sucesso pessoal, nosso inconsciente trará a tona a indesejável energia de falta que criamos quando invejamos uma pessoa anteriomente.

Portanto, para evitar que a falta do outro nos impeça de criar nosso futuro, precisamos perceber no instante em que formos tomados  pela “inveja”,
ao virmos ou ouvirmos a vitória alheia, e transformá-la em intenção positiva, pensamento amoroso. O mais poderoso sacrifício é conseguir emitir sentimentos positivos pelos inimigos!
Lembre-se do velho e batido ditado: ajude o outro a conquistar o que deseja para você conquistar o que quer. É mais simples do que você imagina, a intenção consciente é mais poderosa que a ação inconsciente.

3. A competição x O sol brilha pra todos

A crença de miséria, que gera a inveja, também cria a competição.

A soberba, de se achar melhor que o outro, desperta a necessidade de competir com o mundo para manter a suposta condição de “superioridade”.

O mundo é ágil e cruel, sim, mas isso não significa que você deve desperdiçar sua energia invejando o outro, em vez de concentrar seu foco e energia na sua jornada.

Flua com a vida, não deixe que os obstáculos o deixe cego e duro.

Ame a vida e cada detalhe milagroso do seu dia. E verás que a vida é beleza!

A mensagem do dia de hoje, 15 de maio, do livro da Eileen Caddy diz:

” Tenha fé em si mesmo e na sua capacidade de fazer as coisas com Minha ajuda. Então tudo que você se propuser a fazer será feito com perfeição e alegria. A vida é para ser aproveitada e não deve ser carregada como um fardo pesado que faz você se encurvar e arrastar os pés. Você pode ter grandes responsabilidades, mas não é preciso se curvar diante seu peso. Quando sua atitude em relação a elas é positiva, você a cumpre com alegria e com certeza que pode levá-las a cabo sozinho. Porque EU ESTOU aqui e pode compartilhar tudo coMigo. Você nunca está só. Quanto mais cedo você entender e aceitar isso, mais cedo sua atitude mudará em relação às suas obrigações e mais cedo você será capaz de se ajustar a cada situação e se divertir com ela. “

Concluindo

Acredito que a gente seja nosso inimigo secreto verdadeiro, as pessoas com quem nos relacionamentos são meros espelhos da sua alma frágil. As relações humanas são poderosos veículos de crescimento pessoal e espiritual.

Existem outros motivos para nossa alma nos boicotar, mas definitivamente os amigos são anjos nos trazem as bênçãos.

Nada acontece por acaso. Como diz Eileen, estamos sempre acompanhados.